top of page

Desafios da Parentalidade: Educação e Valores

Educar os filhos é um processo que envolve ajustes e acordos contínuos entre os pais, especialmente quando se enfrentam diferenças de abordagem. A chave para uma educação bem-sucedida reside em dois aspetos fundamentais: a flexibilidade, que implica uma comunicação empática e o respeito pelas diferenças individuais; e a definição conjunta de valores familiares.



1.     Flexibilidade na Comunicação e Respeito pelas Diferenças


A flexibilidade é essencial na parentalidade e começa com uma comunicação aberta e empática. Neste contexto, não se trata apenas de fazer compromissos, mas de adaptar abordagens e métodos conforme as circunstâncias exigem, sempre com o objetivo de atender ao melhor interesse da criança. Isto significa, por exemplo, alternar entre diferentes estilos disciplinares, dependendo do que for mais eficaz em determinadas situações, ou ajustar as rotinas familiares para melhor apoiar os desafios emocionais ou educacionais que a criança possa estar a enfrentar.


Imaginemos que um dos pais acredita firmemente na disciplina rigorosa, insistindo que as regras e os horários sejam sempre seguidos à risca, enquanto o outro valoriza dar mais liberdade à criança, permitindo-lhe escolher as suas próprias atividades e horários dentro de certos limites. Em vez de um dos pais simplesmente criticar o outro por ser demasiado rígido ou brando, é mais produtivo expressar sentimentos e preocupações de forma aberta. O casal poderia sentar-se e discutir os seus princípios e métodos calmamente. Cada um poderia explicar como as suas próprias experiências de infância influenciam as suas preferências atuais na educação dos filhos.


Partilhar histórias da própria infância pode ajudar cada um a compreender melhor as razões por trás das preferências e medos do outro, cultivando um ambiente de respeito mútuo. Este diálogo ajudaria cada um a entender melhor as perspetivas do outro e a trabalhar juntos para encontrar um meio-termo que respeite ambas as abordagens, beneficiando assim o desenvolvimento da criança.

 

2.     Carta de Valores Familiares


A criação de uma "Carta de Valores Familiares" é uma estratégia eficaz para consolidar os princípios que os pais desejam transmitir aos filhos. Este documento deve listar os valores que ambos consideram importantes, como honestidade e responsabilidade, por exemplo, acompanhados de exemplos práticos de como estes valores podem ser demonstrados no dia a dia. Por exemplo, se a honestidade é um valor chave, os pais podem decidir que qualquer ato de desonestidade será sempre abordado com uma conversa explicativa sobre a importância de ser verdadeiro, em vez de simplesmente impor uma punição.


Este documento serve como um lembrete dos valores partilhados, ajuda na tomada de decisões sobre a educação dos filhos e proporciona exemplos claros de comportamento a serem seguidos tanto por adultos como por crianças.


Esta carta é uma ferramenta prática que reforça a coesão e a consistência na educação dos filhos, e serve também como um recurso educativo que as crianças podem visualizar e do qual podem aprender.


Em suma, ao conciliar uma comunicação eficaz e respeito pelas diferenças individuais com uma clara definição de valores familiares, os pais podem criar um ambiente que resolve conflitos de maneira construtiva. Este processo de ajuste contínuo não apenas fortalece a unidade familiar, mas também apoia o desenvolvimento integral das crianças.

 

Brígida Ribeiro

Psicóloga Clinica

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page