O meu projeto de vida ...



Iniciamos um novo ano, ainda há pouco tempo, e os inícios são sempre bons, pois enchem-nos de entusiasmo e boas vontades, parece que nos enchemos de esperança e nos fortalecemos. Estamos num novo confinamento, mas isso não nos pode limitar a vida, os sonhos, nem a esperança e Fé.


Nos inícios de ano são muito comuns as frases “Ah! Agora vai dar certo!”,Ah! Este ano vou conseguir…” mesmo que não sejam verbalizadas, todos nós as pensamos para alguma situação da nossa vida. Mas chega-se a Fevereiro, Março e já perdemos o norte. Então, é importante ESCREVER o nosso projeto pessoal. A passagem de ano, só por si, não altera nada. Quem muda sou eu, ou preciso ser eu. Isto é, eu necessito rever a minha forma de ver a vida, estabelecer metas, projetar-me no futuro e tomar decisões.


Como esta época é propícia, como vimos anteriormente, a fazer crescer em nós a esperança e sentir uma força renovada para realizarmos tudo o que pensamos, é, da mesma forma, o melhor momento para revermos a nossa vida e criarmos um projeto de vida (exterior e interior). Este projeto de vida pode (e deve) abarcar as diversas áreas: emocional, espiritual, pessoal, social.


Como podemos fazer? Procurar um momento a sós, no silêncio do nosso quarto, ou na capela mais próxima (qual o melhor lugar para pensar a nossa vida, em nós mesmos e estabelecer metas, sonhar, senão diante do Santíssimo Sacramento, Autor da nossa vida?) e fazer um balanço do ano que passou (ou da vida). Analisar as conquistas que alcancei, as vitórias, os sonhos que concretizei, as decisões que há muito precisava tomar, mas também, refletir sobre o que não correu assim tão bem, onde me faltou a coragem, o que ficou por realizar, onde reinou o medo, onde fui orgulhosa, teimosa, o que me tirou a paz, etc. Analisando estes pontos, reflito sobre o que gostaria de dar continuidade este ano, o que quero retomar o que me proponho de novo.


Será interessante anotar tudo num caderno e ir revendo ao longo do ano. Pode criar uma tabela por tópicos: emocional, espiritual, pessoal e social.


Primeiramente, a nível emocional: como vivi este ano? Trabalhei o autoconhecimento? Sei como reajo perante determinadas situações? Consigo dar nome ao que sinto? Tenho domínio de mim, isto é, controlo os meus pensamentos, sentimentos de forma a não reagir no impulso? Onde preciso crescer um pouco mais ou aprofundar?


A nível espiritual: como está a minha relação com Deus? Vivi algum momento marcante com o meu Criador que me fez aproximar Dele? Ou, pelo contrário, tenho vivido muito afastada Dele? Para quem já vive uma caminhada espiritual, posso propor metas novas? Por exemplo, estabelecer práticas concretas que me conduzam a uma maior intimidade com Deus, tais como, ler um trecho bíblico e rezar o terço diariamente, confessar-me mensalmente, participar da Eucaristia todos os domingos, ter um dia semanal/mensal de “retiro” onde me dedico mais a ler um livro espiritual, de um santo, fazer Adoração, etc.


A nível pessoal: o que preciso mudar na minha vida pessoal? Dar passos para o matrimónio? Decidir a minha vocação? Colaborar mais na família, promover o diálogo em casa, ser mais dócil, paciente? Preciso mudar de casa, cidade? Preciso reatar algum relacionamento, dar passos para pedir ou dar perdão?


E a nível social: como estou no trabalho? Sinto-me realizada, valorizada? Não será o momento de ponderar prós e contras? Preciso mudar/crescer no ramo da minha empresa? Necessito trabalhar o diálogo com os colegas, a compreensão, a pontualidade?


Posteriormente, anoto tudo num caderno e vou dando passos. Talvez preciso procurar um apoio de um Padre que me guie espiritualmente, ou ajuda especializada de um profissional de saúde para trabalhar algumas questões internas.


É necessário tomar pequenas decisões para chegar às grandes, mas o importante é não parar. Um ano abençoado.


Marta Faustino

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo